Percy Jackson RPG
Bem-vindo, caro meio-sangue. Cadastre-se e viva esta nova vida de semideuses, onde você encontrará muitos desafios, terá amigos e obviamente inimigos. Enfim, divirta-se!

Parede de Escalada

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Parede de Escalada

Mensagem por Poseidon em Dom Ago 21, 2011 7:33 pm

Relembrando a primeira mensagem :

Numa região do acampamento há uma parede de escalada com em média cinco metros de altura, com pequenas frestas na rocha, onde os campistas colocam suas mãos e pés para escalar. Lava e pedras incandescentes costumam cair do topo da parede, como uma desafio amais, para os campistas mais experientes. A parede é muito utilizada em atividades, dando ao primeiro que chegar ao topo, prêmios em Dracmas, itens e xp.

Regras:


- Só se pode postar a cada três dias.
- No mínimo dez linhas, quanto mais explicado, mais recompensas.
avatar
Poseidon
Olympian God
Olympian God

Mensagens : 187
Data de inscrição : 06/08/2011
Idade : 27
Localização : Olimpo.

Ficha Meio-Sangue
Vida Vida:
999999/999999  (999999/999999)
Energia Energia:
999999/999999  (999999/999999)
Nível Nível: 10000000

Voltar ao Topo Ir em baixo


Re: Parede de Escalada

Mensagem por Ezequiel W. Cooper em Qui Ago 07, 2014 1:26 pm


žAo infinite e... Além?ž


Desde que eu entrei nesse acampamento muitas idéias que me parecem ser boas deixam de parecer assim que eu começo a colocar a coisa toda em prática.

Ali estava eu. De pé, olhando para o topo da parede de escalada. Eu sou péssimo em definir qualquer tipo de medida e sei que quando se está muito perto as coisas sempre parecem maiores, mas eu era bom em medidas o suficiente para saber que cair dali iria doer e doer MUITO! A naturalidade com que alguns campistas estavam escalando me deixou um pouco mais tranqüilo.

Tranquilidade essa que durou até eu ver um pedregulho cair de lá de cima seguido por um jato de lava. O campista alvo desviou por pouco passando para os pontos de apóio da direita, mas mesmo assim acho que aquilo foi o suficiente para uma tarde. Com uma velocidade que só poderia ser conseguida pelo desespero de uma fuga ele foi descendo para o chão e partiu para algum outro lugar.

Olhei para o céu em busca de algum motivo para não fazer aquela escalada. Havia um sol brilhante, poucas nuvens brancas, uma brisa quase inexistente e um infinito céu azul claro. Era um belo dia para uma queda. Suspirei profundamente. Vocês podem dizer algo como “Se não quiser é só não ir.”, mas eu estava ali treinando para ser um guerreiro, um herói. Vai saber quando eu terei que escalar uma parede para resgatar alguém ou alguma coisa enquanto me atiram pedras e lava?

Com esse pensamento em mente dei os passos finais até o instrutor e os equipamentos. Enquanto eu os colocava o instrutor passava as indicações para novatos, mas eu não consegui prestar muita atenção. Estava um pouco nervoso, admito, e não tirava os olhos da parede. Observei os pontos de apoio. Havia diversos deles espalhados e eu não fazia a menor idéia de por onde começar. Comecei do lado esquerdo da parede. Escolhi um apoio para o pé direito primeiro, na altura do meu joelho. Fiz força e ergui meu corpo logo esticando o braço esquerdo e segurando em uma fresta para me apoiar. Minha mão direita encontrou outra fresta e tateei com o pé esquerdo até conseguir achar um apoio. Infelizmente o apoio estava bem mais alto que o do pé direito.

Lá estava eu, grudado na parede como uma lagartixa. Sorrindo ao imaginar a cena para quem estivesse observando. Olhei para ver o instrutor, mas ele já havia retornado ao seu posto e parecia não estar nem um pouco interessado no que eu fazia. Dei com os ombros e segui minha escalada.

Aproveitei o apoio mais alto da perna esquerda e fiz força para subir, com minha mão direita peguei o primeiro apoio logo acima. Aquela parecia ser a receita certa. Um membro de cada vez. Com o pé esquerdo impulsionando e a mão direita com um local apropriado para me apoiar eu podia vasculhar a parede com a mão esquerda tranquilamente. Com os três membros seguros podia mover outro pé para um apoio mais alto e assim conseguir avançar.

Repeti o processo. Dessa vez resolvi planejar o que iria fazer, subi com os olhos para o alto e nesse exato momento tomei uma pequena pedra bem no meio da testa. Com o susto eu me soltei e cai. Meu corpo doeu com o solavanco da corda, minha cabeça girava um pouco. Praguejei enfaticamente


- Tudo bem ai? - Ouvi o instrutor perguntar num tom que não tinha um pingo de preocupação. Ele deve ter visto que eu não havia subido o suficiente para me machucar.

- Sim, só com o orgulho ferido. - Ele riu com o comentário. Agora era questão de honra. Novamente comecei a subir e dessa vez cheguei à mesma altura em segundos. Diferente da ultima vez eu já comecei olhando para o alto. Comecei a planejar a subida, olhava um apoio, verificava se estava firme e seguia com a mão até lá e ia subindo lentamente usando os apoios que eu já havia testado.

Olhei para baixo depois de avançar pelo menos três vezes. Eu não fazia idéia de que altura estava, mas com certeza já havia passado a minha altura. Quando olhei para cima uma pedra vinha em minha direção. Não era muito grande, do tamanho de uma bolinha de golfe. Colei o rosto na parede rapidamente e senti ela bater no topo da minha cabeça, praguejei e olhei para o lado.

Com cuidado estiquei a perna direita procurando um apoio firme. Logo encontrei então fui com a mão direita em busca de onde segurar e segui ficando no meio da parede. Durante o movimento outras pedras caíram me errando por pouco. Com um sorriso um pouco confiante estiquei a mão para iniciar uma nova subida e mais duas pedras me atingiram. Essas eram um pouco maiores, uma pegou no meu ombro e outra no braço. Amaldiçoei mentalmente quem havia inventado aquela parede, mas me desculpei logo em seguida caso tivesse sido algum dos deuses. Achei melhor optar por subir e ir mais para a direita, busquei um apoio mais alto para a mão e assim que o encontrei busquei um outro para o pé direito, mais pedras caíram.

Com aquele movimento eu não subi muito, mas cheguei ao canto direito da parede. Eu estava ofegando, meus ombros doíam onde foram atingidos pelas pedras e minhas pernas começavam a tremer pelo esforço. Aquele tipo de exercício era muito mais desgastante do que eu imaginava. Claro que ter passado a manhã treinando com a foice também não ajudava muito.

Foi quando eu estava pensando em descer que um pedregulho maior que os últimos me atingiu no ombro esquerdo fazendo com que minha mão escapasse do apoio. Desequilibrei-me, o pânico irracional pela queda eminente se apoderou do meu corpo e eu segurei com todas as forças com a outra mão. Consegui voltar a ficar colado na parede agora ainda mais ofegante do que antes. Olhei para baixo e a altura que eu atingi me pareceu bastante razoável para uma primeira vez. Não me fiz de orgulhoso, iniciei uma descida lenta e cuidadosa com direito a mais algumas pedras na cabeça.

Agradeci o instrutor e me despedi prontamente. Foi uma boa experiência, mas iria demorar um pouco até eu voltar ali.


avatar
Ezequiel W. Cooper
Filho de Deméter
Filho de Deméter

Mensagens : 28
Data de inscrição : 23/07/2014

Ficha Meio-Sangue
Vida Vida:
165/210  (165/210)
Energia Energia:
110/210  (110/210)
Nível Nível: 11

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Parede de Escalada

Mensagem por Tânatos em Sex Ago 08, 2014 5:53 pm

Gramática: 25        Coesão: 20      Desenvolvimento do treino: 45
Total de xp: 90
Perdas: 15 de Energia e 5 de hp

Atualizad0.
avatar
Tânatos
Deuses Menores
Deuses Menores

Mensagens : 199
Data de inscrição : 24/05/2011

Ficha Meio-Sangue
Vida Vida:
100000/100000  (100000/100000)
Energia Energia:
100000/100000  (100000/100000)
Nível Nível: oo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Parede de Escalada

Mensagem por Aleksander Herzen em Ter Ago 12, 2014 1:47 am


Height is not my strong, but I overcome me!
Posicionei-me no começo da parede. Olhei para cima, procurando ver o quanto eu teria de subir. Esfreguei as mãos, em busca de calor, enquanto já apoiava o pé na primeira das pedras. Usei essa rocha como impulsão para começar a escalada. Foram movimentos ritmados e calculados, subindo rapidamente os primeiros cinco metros da parede. Eu procurava com os olhos apoio para as mãos e tateava com os pés a procura de apoio para os mesmos. Estava começando a pensar que seria fácil quando comecei a me descuidar. Mais uma vez as mãos fizeram seu trabalho em conjunto aos olhos, mas os pés não foram felizes. Escorreguei o pé direito e, com o pé esquerdo em meio a uma transição de apoios, fiquei pendurado pelas duas mãos, minhas costelas bateram em rochas pontudas, que acabaram por perfurar um pouco da pele em torno dos ossos. Voltei a apoiar os pés, após certo esforço e, após dar um descanso aos braços, continuei a subida. Agora eu planejava também onde pôr os pés e verificava se era realmente seguro pisar ali. Isso me garantiu que somente um membro pairasse pelo ar em todas as três vezes que eu voltara a escorregar. A última vez que havia ido naquela maldição, havia sido o mesmo inferno, ainda não conseguia deixar de ter medo de altura.

Finalmente, quando cheguei à altura onde a lava começara a ser um problema, dediquei foco aos meus olhos, que giravam freneticamente e agiam em conjunto com a cabeça, que conseguiu fazer-me ir rápido. A lava quase não foi um problema, apenas me motivou a ficar mais focado e não deixar os escorregões tomarem muito tempo de mim. Eu terminei de subir com um resultado muito mais aceitável do que eu esperava, porém, tinha que admitir que deixara a camiseta inutilizável. Foi então que iniciei a descida. A velocidade, agora, era suicídio. Escorreguei muito na pressa de sair daquela lava maldita que estava conseguindo me destruir. Minha mão estava suando, o que me fazia ficar levemente em estado de pânico. Quando consegui, finalmente, fugir do líquido infernal, a descida foi lenta e ritmada. Foi preciso cerca de meia hora para subir e descer. Adrenalina e força, foco e pensamento rápido. Quantas coisas esconde um simples treino, uma simples subida. Depois de perceber que minha camisa agora era inútil, retirei a mesma e joguei na lixeira, sai caminhando pelo acampamento até meu chalé só de calça preta e coturno, devo assumir que senti olhares sob mim, porém fiquei quieto.


avatar
Aleksander Herzen
Justiceiros de Nemêsis
Justiceiros de Nemêsis

Mensagens : 33
Data de inscrição : 29/03/2014
Idade : 19
Localização : Chalé de Ares @ Acampamento Meio-sangue

Ficha Meio-Sangue
Vida Vida:
165/180  (165/180)
Energia Energia:
85/180  (85/180)
Nível Nível: 11

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Parede de Escalada

Mensagem por Poseidon em Ter Ago 12, 2014 9:14 am

Gramática: 25        Coesão: 25      Desenvolvimento do treino: 35
Total de xp: 85
Perdas: 15 de Energia e 5 de hp

Apesar da ausência de introdução, você narrou muito bem.

Att.

••••••••••••

Poseidon

Deus dos mares ✦ Deus dos terremotos ✦ Staff ✦ Deus amado
avatar
Poseidon
Olympian God
Olympian God

Mensagens : 187
Data de inscrição : 06/08/2011
Idade : 27
Localização : Olimpo.

Ficha Meio-Sangue
Vida Vida:
999999/999999  (999999/999999)
Energia Energia:
999999/999999  (999999/999999)
Nível Nível: 10000000

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Parede de Escalada

Mensagem por Cassandra L. R. Speckhart em Qui Ago 14, 2014 5:00 pm




Don't look down  
Oh Lord, heaven knows

We belong way down below

Way down below, way down below ♫
___________________________________________________________________


O céu estava tingido em tons de laranja, rosa e azul escuro - o crepúsculo tivera início e logo Nyx reinaria sobre seus domínios, uma brisa gélida vinha do leste e ao longe as árvores se curvavam acompanhando os ventos de Zéfiro. O verão se aproximava aos poucos, logo os dias seriam mais longos e as noites menores, não levaria muito e o Acampamento estaria cheio de novos semideuses- e isso, ao menos para a garota que caminhava, não seria nada agradável. Os cabelos loiros balançavam acompanhando o ritmo de seu caminhar, trajada com a típica roupa do acampamento, não chamava a atenção dos demais semideuses. Cassandra parou defronte a grande parede de escalada, mesmo de onde estava o calor da lava vermelha causava-lhe certo desconforto, de fato aquela parede era uma criação demoníaca. A rapariga aproximou-se um pouco mais, seus lábios curvaram-se em um sorriso para o garoto que era, obviamente, o instrutor e a observava sem nenhum pudor.

- Vai tentar a sorte, rapariga?

Speckhart fitou a parede, ignorando o rapaz, devia ter no mínimo 9 metros de altura- rochas ingrimes e que não ofereciam um pingo de confiança, uma cratera exatamente no meio da parede e que parecia prestes a se fechar, além dos deslizamentos constantes e a lava vermelha que escorria de alguns pontos aleatórios. Cassie sorriu, em um movimento rápido prendeu os fios loiros em um rabo de cavalo, era a hora da diversão.

- Pegue o equipamento, sim?! - Liesel piscou para o rapaz, este aparentava ser um filho de Ares, sua musculatura o denunciava. - Rápido, quero voltar a tempo para o jantar, estou faminta.

Rapidamente a menina vestiu o equipamento de segurança, a adaga de prata presa na bainha em sua cocha direita foi um empecilho- mas logo ela já estava apoiando-se na primeira rocha. A parede estava quente devido à lava, a pele alva da menina logo avermelhou-se e assim que conseguiu apoiar seus pé em uma pedra confiável ela deu o impulso iniciando a escalada. Seu pé de apoio o direito, estava rente a parede, seus dedos envolveram o pedregulho logo acima da sua cabeça e seu pé esquerdo encontrou um apoio poucos centímetros acima, em um respirar ela içou o corpo para cima. “ Isso é..tedioso.” Com um bufar característico seu, ela esquadrinhou os metros a frente em busca de opções, a rocha áspera contra sua mão a machucava- assim como o cinto de segurança que apertava suas pernas; O pé de apoio buscou por uma fissura na parede, este alguns centímetros acima, sua mão esquerda buscou pela rocha mais exposta e novamente içou seu corpo para cima, os músculo de seus braços se tencionando devido ao esforço. Nesse ritmo, lento ela avançou o primeiro metro. Cada movimento seu era avaliado previamente, Cassie não sentia a mínima vontade de ver sua pele esfolada.

- Vamos princesa, estou morrendo de fome. - a prole de Ares gritou, puxando o cinto de segurança com certa força- o que acabou desequilibrando a moçoila. - Vamos, bonequinha.

Cassandra estreitou os olhos,agarrando-se a rocha e impedindo a queda e, no instante seguinte já estava puxando seu corpo para cima. Pé de apoio rente a parede, mão esquerda na rocha mais próxima, seguida da direita e depois do impulso. Era básico simples, porém, agora que acabara de ultrapassar o segundo metro a parede mostrou o porque de ser tão temida. O primeiro deslizamento a pegou desprevenida, a poucos metros de onde estava o tremor ocorreu e os pedregulhos vieram abaixo- trazendo consigo ainda mais rochas. A loira abafou o grito, jogando-se para o lado tentando desviar das pedras, mas não fora rápida o suficiente e seu braço direito fora atingido- o escarlate brilhou no final do crepúsculo.

“ Idiota.”

Seu corpo estava colado a parede, sua respiração irregular estava tensa. “ Sua idiota, esqueceu das armadilhas?!” As íris azuis fitaram a imensidão acima de si, ainda faltava um bom pedaço para chegar ao final e, seus músculos já estavam doloridos. “ Respire e avance.” Speckhart procurou pelo pedregulho mais próximo, repetindo o processo já citado, seu corpo foi impulsionado para cima, mas no segundo seguinte já não havia onde se apoiar. Seus pés balançavam livres e mantinha agarrada apenas com as mãos. Outro tremor sacudiu a parede e o desespero tomou conta de si, rápido, havia de ser rápida para escapar. Em um esforço quase sobrenatural, ou melhor, pela adrenalina conseguiu subir seu corpo e, fora a a cratera no meio da parede que a salvou. Seu corpo foi comprimido, havia rocha por todos os lados, estava quente e uma camada de suor cobria sua testa. “Quem sabe…” Em uma tentativa posicionou seu corpo na forma de um X, e como as crianças que escalam portas, começou a avançar pelo vão que se abria acima de si. O caminho era mais fácil, os tremores a desequilibravam com certa frequência, mas ali onde estava as rochas não estavam capazes de atingi-la.

- Rápido, garota! - mais uma vez o garoto gritou lá de baixo e, mais uma vez, Cassandra bufou irritadiça.

Os nós de seus dedos estavam brancos devido ao esforço, todos os músculo de seu corpo estava tencionados e lentamente ela avançou, o topo já era visível e seu coração bateu mais rápido. “Vamos, mais rápido.”  Um tremor diferente fez a cratera tremer por inteira, a loira balançou onde estava, e logo o calor chegou. Vermelha e aterrorizante a lava escorria pela cratera, um grito escapou por sua boca, e o desespero a tomou por inteiro. Foi no momento de descuido que sua mão esquerda escorreu, a rocha pontiaguda abriu um talho em sua mão e o sangue rubro escorreu pelo talho aberto e no momento seguinte jogou-se para trás. Ela desistiu.

O filho de Ares sorria para ela, o sol já não brilhava mais e Cassandra sentia todo o corpo dolorido, a noite reinava acima de si. Assim que seus pés tocaram o chão, ela livrou-se das amarras, sua mão latejava absurdamente e o líquido continuava a escorrer do corte. Com a cabeça erguida e uma fúria sem nexo, ela deixou a parede para trás indo em direção ao seu chalé.

PODERES:
Passivo:
– Cura das trevas I – Você pode se curar de noite (Apenas 10HP).


avatar
Cassandra L. R. Speckhart
Filho de Perséfone
Filho de Perséfone

Mensagens : 41
Data de inscrição : 09/08/2012
Idade : 20
Localização : Não sei D:

Ficha Meio-Sangue
Vida Vida:
100/100  (100/100)
Energia Energia:
100/100  (100/100)
Nível Nível: 1

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Parede de Escalada

Mensagem por Poseidon em Qui Ago 14, 2014 6:11 pm

Gramática: 25        Coesão: 25      Desenvolvimento do treino: 40
Total de xp: 90
Perdas: 15 de Energia e 5 de hp

Boa escrita, adorei seu treino. Parabéns.

Att.

••••••••••••

Poseidon

Deus dos mares ✦ Deus dos terremotos ✦ Staff ✦ Deus amado
avatar
Poseidon
Olympian God
Olympian God

Mensagens : 187
Data de inscrição : 06/08/2011
Idade : 27
Localização : Olimpo.

Ficha Meio-Sangue
Vida Vida:
999999/999999  (999999/999999)
Energia Energia:
999999/999999  (999999/999999)
Nível Nível: 10000000

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Parede de Escalada

Mensagem por Tristan Porter em Dom Ago 17, 2014 9:01 pm


Parede de Escalada


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------Quanto mais subir,


Havia saído do chalé com o intuito de começar a evoluir meu corpo e minhas habilidades, porque o que sabia como luta, eu havia aprendido às pressas, além de que saber mesmo como lutar e me defender sem depender de ninguém.

Segui rumo à parede de escalada para o meu primeiro treino, pois sabia que eram poucos os que se aventuravam nela e queria me testar para saber minha área e iniciar um tipo de rotina de treinos caso tivesse habilidade para arenas além de arco e flecha. Quando cheguei a ver ela bem de perto e vi as coisas pra cima, realmente era um baita desafio e entendi porque poucos se aventuraram, mas não iria desistir ainda.

Coloquei a proteção básica como capacetes, cotoveleiras e joelheiras, e troquei os sapatos em que estava para alguns que tinham na mesa próxima que eram mais fáceis para se escalar. Alonguei meus braços e minhas pernas deixando 15 segundos para cada posição de alongamento e após estar satisfeito, aproximei-me da parede e coloquei por mim as luvas sem dedos para evitar que o suor me atrapalhasse tanto conforme eu subisse.

Fiquei mais pra esquerda da parede, coloquei minha mão esquerda numa pedra acima da minha cabeça, coloquei meu pé esquerdo numa pedra e me dependurei, pus minha mão direita em uma pedra mais alta que a da esquerda e meu pé direito numa pedra mais alta que a pedra do pé esquerdo. Repeti o movimento de me dependurar colocando o pé esquerdo numa pedra mais alta e a mão esquerda também, repeti e fiz o mesmo com o lado direito do corpo.

Ouvi o instrutor dizer que agora poderiam ter pedras se soltando e aquilo me preocupou um pouco, mas me mantive firme e me foquei nas informações dos perigos da parede. Coloquei meu peso mais apoiado no lado direito enquanto colocava a perna esquerda numa pedra e a testava para não cair, tentei dependurar nele e fiz o mesmo com a mão esquerda o que funcionou, então me dependurei no lado esquerdo. Testei uma nova pedra mais acima com o pé direito e ela balançou um pouco então tentei outra que mesmo estando mais próxima do meu pé esquerdo já ajudava então testo uma nova pedra para a mão direita e subo novamente.

Repeti novamente, dependurei no lado direito e testei novas pedras para o lado esquerdo, as duas primeiras falharam então retorno pra onde estava e me mudo. Dependuro-me pro lado esquerdo e texto novas pedras pro lado direito e apenas a primeira pedra pra mão é que caiu então já me dependuro no lado direito e texto pro lado esquerdo. Senti a parede vibrar e comecei a pressionar mais as pedras e decidi não ir mais por enquanto, porque era só meu primeiro treino.

Tentei novas pedras pro lado direito e um pouco para baixo, a primeira mudança total de pedra funcionou, mas a segunda tentativa falhou então tentei subir um pouco mais mesmo com a parede vibrando. Testei duas vezes cada mão, mas conseguir mudar e desci um pouco mais novamente. Desci o lado direito tomando cuidado para não tombar pra trás e nem pra um dos lados, pro pé falhou uma vez, mas achei uma mais acima e comecei a descer o lado esquerdo normalmente sem cair pedras. A vibração acabou, mas agora era a descida e as pedras caindo novamente.

As pedras das mãos caíram, e comecei a cair, tentei me agarrar em novas pedras e uso pés e o rosto para virar pro lado e pra baixo para olhar novas pedras. Duas pros pés vinham e assim que consigo parar, as pedras das mãos não pareciam seguras e tento achar novas, mas sem parar mudo mais pra perto de onde achei as duas pedras pra mãos que era mais pra cima e mais pra direita e logo pude descer mais. Repeti com cuidado a descida e graças ao quase tombo, as pedras caindo acabaram, então tomei cuidado só com pedras pequenas e fui devagar para não achar fácil e cair de novo nesse atalho de já saber.

Assim que termino de descer passo minhas luvas na calça para secar o suor, tirou as luvas e repito o movimento. Sentia meu corpo vibrar de nervosismo ainda e termino de tirar meus equipamentos, agradeço ao instrutor por tudo enquanto trocava de sapatos. Devolvo o que usei emprestado, me despeço e saio dali pra treinar em outro local.


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------mais irá doer o tombo.

maleficent
avatar
Tristan Porter
Justiceiros de Nemêsis
Justiceiros de Nemêsis

Mensagens : 36
Data de inscrição : 06/09/2011
Idade : 22
Localização : Acampamento Meio-Sangue

Ficha Meio-Sangue
Vida Vida:
220/300  (220/300)
Energia Energia:
220/300  (220/300)
Nível Nível: 20

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Parede de Escalada

Mensagem por Tânatos em Seg Ago 18, 2014 8:00 pm

Gramática: 20       Coesão: 20   Desenvolvimento do treino: 45
Total de xp: 85
Perdas: 15 de Energia

Att.
avatar
Tânatos
Deuses Menores
Deuses Menores

Mensagens : 199
Data de inscrição : 24/05/2011

Ficha Meio-Sangue
Vida Vida:
100000/100000  (100000/100000)
Energia Energia:
100000/100000  (100000/100000)
Nível Nível: oo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Parede de Escalada

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum